CURITIBA SABORES DE CURITIBA

Curitiba ganha um novo bar com a cara do Brasil

Casa conceito tem como tema a brasilidade, desde a decoração até a gastronomia

Inspirado pelo Brasil, suas cores, sabores, gente e cultura, abre as portas nesta sexta-feira em Curitiba o bar +55. Numa das esquinas mais movimentadas do Batel, onde se encontram as ruas Presidente Taunay com Vicente Machado, local que abrigava anteriormente a balada Lique.

Como cenário para esta mistura multicultural, o projeto, criado pelo arquiteto Paulo Freitas, prevê inspirações industriais harmonizadas com jardins internos, deck interligado com a calçada e muros de vidro, além de muitas referências a ícones da cultura brazuca. O novo bar tem como sócios os empresários Edo Krause, Carlos “Jeje” Civitate, Artur Gim Maia, Luis Eduardo Motta e Thiago Abreu Colle, além do próprio Freitas.

O nome já deixa indicada a ligação da casa com a brasilidade. +55 (leia-se mais cinco cinco) é o código telefônico para se ligar ao país a partir do exterior. No caso do novo bar, é o prefixo para anunciar uma grande miscigenação de influências. A essência é a dos mais legítimos bares e botecos brasileiros: democrática, capaz de reunir no mesmo espaço diferentes estilos, gostos e faixas etárias. O espaço foi projetado pensando nesta celebração ao encontro, com ambientes amplos, balcões confortáveis e a integração com a calçada, por meio do paisagismo, decks e a utilização de muitas peles de vidro. Terá capacidade para até mil pessoas, numa área total de 500 metros quadrados.

A arte contemporânea terá espaço cativo. Em anexo ao bar, funcionará uma galeria, aberta para criadores das mais diversas formas de expressão. Com suas exposições, receberá as mais diferentes formas e facetas da cultura produzida na atualidade, privilegiando artistas curitibanos.

Outra arte, a das cozinhas, também terá sua vez. O chef Alexandre Bressaneli assina a gastronomia da casa, com um cardápio de petiscos e pratos que rende justa homenagem a alguns dos sabores mais tradicionais do país, desde o Sul até o Norte, fronteira dos sabores amazônicos.

 

Você pode gostar